sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

eCommerce nos EUA atinge Alta Histórica

comScore: Varejo Online registrou crescimento de 15% em 2011.

eCommerce nos EUA atinge Alta Histórica
O Comércio Eletrônico nos EUA alcançou a maior alta de todos os tempos no período de festas do ano passado.

Assim, entre novembro e dezembro de 2011, gastou-se US$ 37,2 bilhões, resultado bastante superior aos US$ 32,4 bilhões gastos em 2010. O desempenho também foi muito maior do que o auferido pelo varejo offline.

A Federação Nacional de Varejo (NRF) projeta que as vendas totais do segmento, excluindo-se os negócios online, tenham alta de 3,8% no período.

Segundo a comScore, a exuberante alta nas vendas online americanas foi impulsionada pela crescente oferta de frete gratuito.

Fonte: Agências internacionais

Um comentário:

Fernando Mendes Nolasco disse...

Gerson, Parabéns pelo Blog e excelente matéria!
O Comércio Eletrônico mundial está completando pouco mais de seis anos de vida, e no Brasil metade disso. É portanto, um setor ainda em formação. Muitos analistas simplesmente ignoram esse fato e, talvez como uma vingança contra os profetas do lucro fácil que já quebraram a cara e estão fora do jogo, cobram do ecommerce, desempenho nunca antes alcançado por nenhum outro setor em tão curto prazo. O fato é que saímos da “e-euforia” diretamente para a “e-depressão”, sem nenhuma escala num patamar razoável de bom-senso calcado na realidade dos números como pretendemos demonstrar.

A questão primária quando se fala na utilização da Internet como um novo canal de comercialização é: quantas pessoas já estão conectadas a Web, e portanto expostas a comunicação e estratégias mercadológicas, e quantas estarão num horizonte razoável de tempo. Isto porque é esse o público alvo das empresas que atuam na Internet. Se você tem um público de mais de 160 milhões de internautas como é o caso dos Estados Unidos, maravilha; porém, se você atua num mercado que ainda não atingiu o volume de 60 mil pessoas, como é o caso de Cuba, a perspectiva de sucesso de qualquer empreendimento ponto-com é.. desalentadora, para ser educado.

Como era de se esperar, não chegamos ao paraíso como é caso dos Estados Unidos, mas já estamos muitíssimo longe de Cuba. As últimas pesquisas indicam que no Brasil mais de 12 milhões de pessoas estão conectadas a Internet, o que já não é pouca coisa, principalmente se considerarmos a qualificação desse público, majoritariamente classes A e B, ou seja, a camada da população de maior nível de renda e portanto com mais capacidade de consumo. Mais importante que o momento, no entanto, são as tendências. O quadro abaixo, mostra a evolução do número de usuários da Internet no Brasil.